GEIT - Grupo de Estudos em Inovação Tecnológica

O Grupo de Estudos em Inovação Tecnológica está de portas abertas para receber novos alunos que desejam trabalhar nas áreas mapeamentos de tecnologia, prospecção tecnológica, inovação tecnológica e empreendedorismo.

Mapeamento de setores tecnológicos estratégicos utilizando informações de patentes

Estudos realizados por pesquisadores da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (WIPO) estimaram que a maior parte do conhecimento tecnológico se encontra divulgado apenas em bancos de dados de patentes.

O mapeamento de setores e tecnologias, feito através de informações contidas em bancos de dados de patentes, permite conhecer o estado atual de uma tecnologia, local ou glocal - onde há maior concentração tecnológica nessa área, a temporalidade das mesmas e, por essa razão, esse tipo de busca é fundamental para poder avaliar não só a competitividade técnica da tecnologia, bem como sua força legal e comercial. Esses mapeamentos, que começam com a busca sistemática nos bancos de dados de patentes, a qual ajuda a responder onde e quem detém uma determinada tecnologia, permite identificar, entre outras valiosas informações, ocorrências de inovação, tendências, diversidades de soluções técnicas para problemas clássicos do estado da arte, colaborações, etc. Hoje se tem disponíveis algumas ferramentas para fazer a prospecção tecnológica e outras finalidades como:

  • mapeamento da evolução de tecnologias (Technology Roadmapping);
  • identificação de novos mercados – oportunidades de negócio;
  •  monitoramento dos concorrentes;
  •  identificação das tecnologias emergentes;
  •  previsão de novos produtos;
  •  rastreamento de capacitação tecnológica;
  •  definição de potenciais rotas para aperfeiçoamentos de produtos existentes;
  •  identificação de fontes de licenciamento;
  •  patenteabilidade simples;
  •  autorização para comercializar um produto;
  • oposição a uma solicitação de patente de terceiros;
  • possíveis infrações e litígios;
  • suporte a prossecuções;
  • criação de portfólios de tecnologia;
  • investimentos;
  • fusões e aquisições;
  • fomentar políticas públicas para orientar o desenvolvimento científico;
  • etc.

Em trabalhos anteriores, nosso grupo mapeou a produção tecnológica no Brasil comparativamente com os outros países do BRIC.

A título de ilustração, a figura abaixo (c.f. Figura 1) mostra a evolução dos depósitos de patentes na área da química, feita por residentes e estrangeiros, nos países que compõem o BRIC.

Figura 1: Evolução dos pedidos de patentes na área da química publicados nos países do BRIC.

Mais informações sobre mapeamentos e prospecção tecnológica, podem ser encontradas nos artigos já publicados:

Desmistificando a proteção por patentes nas Universidades

Buscas de Informações Tecnológicas com base em dados de patentes: Estudo de caso dos líquidos iônicos no Brasil

Panorama de propriedade intelectual, transferência de tecnologia e inovação da química brasileira e a comparação com países do BRIC

Patent landscape: Technology development behind science in the flavor and fragrances (F&F) area

Creating a critical snapshot of the bioleaching sector by using patent databank analysis